17 agosto 2006

O death, where is thy sting? O grave, where is thy victory?

Roy Lichtenstein

3 comentários:

FataMorgana disse...

Um excelente encontro com Lichtenstein. Muitas considerações e histórias interessantes. E este poema:

"in cielo me porto

De quando és?
Em que época viram teus
olhos o fim?
Para quem falas?
De que sonho vem o teu vestido de cetim?

Leva-me já, não deixes
que alguem me olhe
No céu estaremos melhor,
sem rosto nem espelho
Sem desejo, sem
passado, sem quem me
adore
Num gesto antecipado, redondo,
imaculado."


Ah... vou voltar meeesmo!

musqueteira disse...

Viva Carlos...da publicidade à pintura, entre os caminhos das palavras sonorizadas pelo cromaatismo da emoção - eis a obra!
Que assim seja.

POLYPHEMUS disse...

Ευχαριστώ !

:)