29 novembro 2008

07 outubro 2008

Mac shame

A pré-história do Windows já foi copiada tristemente pelo MAC OS ....

12 agosto 2008

Body Talk


Agora de certeza que falo sozinho para o espelho.

velho, e se fico velho de repente? está quase, faltam já poucos anos, poucas rugas, poucos cabelos brancos, pouca pele feita cereal desfeito. Vou ter ataque cardíaco, avc com boca ao lado, sarcoidose, septicemia arranjada num corte de canivete, perna manca, braço ao peito ?

Ou desfaço-me no mar contra uma rocha de coral? tropeço quando faço jogging e engulo o ipod?

isto não previa quando estava a ler banda desenhada na praia do Vau e sentia saudades imensas da mãe, nas férias que não acabavam nunca nos Setembros incontáveis dos anos 70, antes do petromax se acender e os insectos me perseguirem até acabar de comer a sopa de tomate com ovo.

isto não previa quando me deitava triste a olhar para o candeeiro de pilha na mesa de cabeceira azul com vivos floreados brancos.

na minha camisola azul com listas e com o olhar da avó hesitante a consolar incrédula o que deveria ser a alegria das férias. Mas não era.

23 março 2008

Não ressuscitou


O mito instala-se cedo: os que acreditam em Deus, "vêem" uma figura idosa de barba branca longa, varrendo o mundo incansável e inexplicavelmente conseguindo estar e não estar ao mesmo tempo, falhar clamorosamente em quase tudo e acertar em pouco, sendo por isso reconhecido.


Que inveja: Eu humano quando falho não sou perdoado e quando acerto ninguem liga.
Se calhar ele existe mesmo, só para Me contrariar.

20 março 2008

O outro lado do iPod


A vizinha do lado, a segunda feira de manhã, as árvores debaixo da chuva.

É este mergulho n outro lado da vida da rua, com música a iluminar os cantos de todas as almas.

É olhar com outras cores, mesmo as mais carregadas de cinzento.

Hoje, na escuridão da Rua, o meu iPod branco

13 março 2008

The good wife handbook



By all means marry.

If you get a good wife, you'll be happy. If you get a bad one, you'll become a philosopher.

And if a man steals your wife, there is no better revenge than to let him keep her.

12 março 2008

Once upon a time in the west

Nem a rua me tranquiliza, vivo; basta o sorriso na montra da scrava modelo de plástico pra me encolher.

Lá onde os sinais não servem e ninguem percebe nada do que eu screvo, scravo.

Talvez se houvesse scravatura, ao ir para a rua de walkman, eu fosse alvejado pelas pedras dos que lamentam não ter sido eu o scravo.


era nesta escrita puramente idiota que eu procurei salvação, lá bem longe em 1987, lá bem longe onde ainda tocavam a guitarra de knopfler, eu subia a rua em direcção ao Loucuras depois de jantar na Bicaense e vestia uma camisa de flores discretas.

Assim me diz esta fotografia, entre desarrumações e caixotes, agora de novo entre os fantasmas de mais uma casa abandonada.

Tenho coisas a mais, coisas pesadas para um só. Alguem aproveite a lição que para mim é tarde.

Apesar de ainda sair à rua, mas agora armado de Ipod.

29 fevereiro 2008

Eu que era tristeza

Quando ela passa por mim
Rio de Janeiro demais
Mesmo que estivesse em Berlim
Eu veria logo os sinais

~~~~
(@@)
--------

28 fevereiro 2008

... anna maria broke my heart

(BrokenSword: the angel of death)


Acabo de tirar da estante os "manifestos do surrealismo", cheios de pós, alguns da história, outros da estante.


enquanto espirrava, li "abola " on line, fui ao blog desinteressante de um colega desinteressante como eu, e respiro o pó on line de "a bola", jogo ou não jogo? o meu joelho e o tendão dele estão afinal devidammente ressonados magnéticamente?


enquanto lia "a bola" on line" vi que tinha o meu globo ocular direito absolutamente vermelho, o que me impede de olhar para o espelho e ter aquela sensação habitual de Clooney de trazer por casa.


você é linda e não sei porque a abandonei, mas agora é curtir o manifesto do solitário, mais uns treinos para atravessar o Atlântico, o seu voodoo nunca me faça mal !