15 novembro 2007

The eyes of a ghost woman


E se afinal fosse mesmo este sonho, o sonho de quem está no sonho?

Naquele sonho de ontem, um thriller de 2 segundos, o único em que a imagem pára, a imagem desse ser irreconhecível, a imagem sonhada, mas bem conhecido na identificação mental com ela. Perde-se num sonho quase tudo o que é preciso voltar a encontrar alguns segundos depois.

Assim, a acção é irrelevante, no momento de acordar é esquecida e ficam aqueles 2 segundos: alguém (ela) pára e pergunta com o olhar, interrompendo o que estava a dizer: o que se passa? e eu falo e digo: porque paraste?

E acordo.



4 comentários:

Luiza disse...

e ela depois continua?
ou morre?

Aloc disse...

Eu acordo. Logo, com este gesto comum, matei-a. Ou perdi-a. É o mesmo.

No one believes in it, but it´s true.

Luiza disse...

and would it be better(like many things and unlike many others) if it were not true? or would it be easier? and would easier be better than what it is now? or, on the other hand, would it all be a waste of time, though and expectations?
what would it be? what? would it be anything? is it really something?

Aloc disse...

It´s a dream.

It´s a thing.

Like anything else