20 outubro 2005

Kaleidoscope world

Muita da luz que vem da janela está na minha memória. Mesmo que as horas sejam as horas pequenas da madrugada, não consigo querer dormir, mesmo que as cidades e as luzes que passaram a correr como numa série de fotografias aceleradas, em tantas cidades do mundo, teimem em querer adormecer. Não na minha memória reconstruida todos os dias em Lisboa.

3 comentários:

jp disse...

A memória.
Aquela parte que nos prega partidas váias.

jp disse...

Leia-se, várias, que o Alemão já me lixa ás vezes ;-)

POLYPHEMUS disse...

Vaya con Dios, um tipo lixado :)