25 outubro 2005

Um barco à vela deve ser um assunto sério

A caminho de uma praia em frente a Maputo, 2 horas de barco a motor, lancha rápida com coletes coloridos fazendo lembrar montanhas russas, ou barcos de aluguer em Chicago mesmo em frente ao Drake Hotel onde a Princesa Diana dormiu com Al-Fayed.

C. protege M. simbolicamente, tem medo das vagas e põe o braço protector em volta dos ombros de M, que tem seis anos, seis anos preocupados com as "coisas importantes" do mundo quando olha o globo luminoso que lhe faz companhia no quarto, lá atrás do horizonte, agora uma silhueta da cidade. Na bolsa frigorífica levam camarões panados, sanduiches de fiambre e chá gelado. No saco levam um barco à vela a pilhas.

Na praia aguardam jovens com construções de madeira, o jardim em frente ao hotel tem uma piscina no meio, com água salgada, e C. põe o barco à vela a rodar. M. olha e diz-lhe que esse barco não é a sério. A fotografia de M, C, Cr e B na praia vai desfazer-se em poucos anos até esse momento sério, com outra tripulação, ser enfim a outra verdade.

11 comentários:

Dan Brown disse...

No one before you = you see?

POLYPHEMUS disse...

Almost, but not quite

katraponga disse...

Isto ficaria por acaso perto do Hotel Polana?

POLYPHEMUS disse...

Não, isto era (e é) na ilha da Inhaca, 20 milhas em frente a Maputo. A viagem fazia-se de avião ou de lancha rápida (que eu utilizava sempre que lá ia). O Hotel Polana era o meu outro refúgio nos fds em que não ia para a ilha.

MRF disse...

descreves bem os atropelos da memória, como de uma imagem se passa a outra. sem razão aparente. mas o fio, sempre o mesmo fio, está lá.

ou todos os momentos são um produto. ou um princípio. de um filme

jp disse...

os retratos são assim, têm uma certa tendência a esmorecer-lhes as cores
(E não levaste porrada ontem ,mas nada se sabe ;P)

TR disse...

Carlos,

...de veleiros? e não consegue pensar noutra coisa?... dá para esclarecer um bocadinho melhor...antes que passe?

...de veleiros não. De canoas imagino que não sirva... diga qualquer coisa! :)

POLYPHEMUS disse...

MRF,
estes pedaços de memória são por vezes compostos com a "realidade" de um tempo qualquer por onde passei, como é este post

outros, são de um tempo de personagens que eu coloquei em tempos imaginários, como o anterior post

um dia pego num deles e faço um guião ! Depois vou entregar ao Manuel de Oliveira, quando ele fizer 120 anos

POLYPHEMUS disse...

TR,
de veleiros porque ando doido com a ideia de comprar um ! e está quase ...

gostei imenso das fotografias do seu blog ( e não só ) e lembrei-me se não haveria alguns veleiros no portfolio ! ou coisas oceânicas ...

TR disse...

Vou procurar...

katraponga disse...

Ah, Inhaca... boa vida, boa vida! ;)