06 julho 2006

Abre os olhos antes que a serpente te coma vivo


Esta manhã acordei mas não abri o olhos.

O vento que abanava a janela: não o via
A gente que encontrei ontem: não estava aqui
O rosto que podia estar aqui: não o senti.
A continuada angústia, a contagem dos dias, o ponto em que o cérebro decide, o momento em que decide se este é um dia feliz, ou se afinal é outro igual a todos, de todos para todos, o momento em que o cérebro desfila e reconstrói tudo o que é necessário para abrir os olhos, nada desses acontecimentos se sucederam na cadeia normal.

Por isso não valeu a pena abrir os olhos

2 comentários:

non.y.non disse...

De olhos fechados ? Um rosto que deixou saudade ? Uma fonte de angústia ? A pressa de ver os dias passar ? Não é uma serpente azul não, ela é a própria paixão que ameaça te devorar, e não há nada melhor ... Acorda...

Luiza disse...

tenho aberto os olhos. sei que preciso ver os ventos, as gentes, os rostos, as angústias, os dias, os pontos, os cérebros, os momentos, os acontecimentos.

se forem poucos, se forem muitos, preciso vê-los. estou vendo-os. mas deixei de prócurá-los.