09 julho 2006

o pôr do sol visto de uma janela de um navio de infindas toneladas é como olhar o paraíso de uma caverna sôfrega de sol

3 comentários:

non.y.non disse...

Acontece que no paraíso, tudo se passa de forma irreal, o homem olha sempre para a mulher como a própria imagem do pecado, culpando-a e fazendo-a sentir-se culpada pelo simples facto de ser mulher e a sua própria tentação...

Num navio gigantesco, assim como numa caverna escura e sem sol, ninguém dá por ela, e não fora o chegar à janela, e nunca mais se lembraria que é mulher e que o paraíso apesar de muito injusto, existe para lá do horizonte, pleno de promessas que nunca ficam por cumprir, mas que trazem consigo o castigo, a culpa e a injustiça dos homens que não conseguem amar e desejar uma mulher, sem a odiar e magoar com a mesma intensidade...

Anónimo disse...

Cool guestbook, interesting information... Keep it UP
» » »

Luiza disse...

não saberia dizer. não poderia concordar. mas sei como é ver o nascer do sol de um avião de dezenas de toneladas. diria que é lindo, que dá paz, sensação de vida, um tanto de completude e realização. mas diria, também, que é falso. nada ultrapassa a janela pequena e arranhada, e o calor alegre que o sol esbanja fica confinado ao resto do mundo, e a ti fica confinado o frio de um ambiente de temperatura regulada.